20/06/2015

De porre

Estou de porre da vida
Por tanta mentira e falsidade;
Se quem estenda a mão amiga
Só o faz por crueldade!

Estou farto da estupidez
Estampada em quem me olha
Com tal despropósito e insensatez
Como se canalhice estivesse em voga!

Estou de porre com o mundo,
Quero distância de tudo
Por ver tantos vagabundos
Ficarem por cima dos lucros!

Estou farto de tanta imbecilidade
Orientada por quem é incapaz,
Preciso de distância da mediocridade!
Quero paz!

0uro de tolos

Todo homem é inocente
Até provarem o contrário
Mas muitos viram delinquentes
Pela falta de trabalho!

Todo homem é bom
Até o momento fatal
Porém, o discurso muda de tom
Com a injustiça social!

Todo homem tem dignidade
E luta para mantê-la
No entanto, as regras da sociedade
Sempre o leva a perde-la!

Todo homem luta por amor
E crê na justiça divina
Contudo, ao gerar tanto rancor
Ele compromete a própria sina!

Todo homem sabe que deus
É o supremo dom da terra
Mas na arrogância se perdemos
A ponto de inventar a guerra!

Todo homem sabe que um dia
A justiça vira para todos
E punirá a injustiça e hipocrisia
Na busca pelo ouro de tolos!

Inimigos

Não são os meus inimigos que me preocupa
Mas, sim, os amigos com tapinhas nas costas
E as falsas promessas de ajuda
Tendo nas mãos uma arma que não se mostra!

Aos meus inimigos tenho gratidão
Pois conheço a todos e sei que são sinceros,
Já com os amigos que me estendem a mão
Se não se importam deles nada quero!

Quando aqui alguém me elogia
Sei que logo vou cair
Pois a falsidade e hipocrisia
É só para iludir!

Em meus inimigos eu confio
Pois sei o quanto me querem mal,
Logo, ele não tem um sorriso vazio
E posso ver em suas mãos um punhal!

Já dos meus amigos fiéis
Destes, confesso, tenho medo
Pois, eles me roubam os anéis
E por prazer me cortam os dedos!

Agradeço a deus pelos inimigos que tenho
A caminho de casa e do trabalho
Pois, dos amigos nem sei se me defendo
Porque onde eles estiverem nada valho!